Não há como conter a pelesobre obra de Adriana Tabalipa - galeria Ybakatu, 2004